Em 1979, o Dr. Celso Charuri propôs a um grupo de amigos a fundação da Central Geral do Dízimo – PRÓ-VIDA (CGD-PV) como uma das formas mais eficazes para manifestar a nossa responsabilidade social.

Seus fundos advêm do recebimento de depósitos bancários anônimos e facultativos, que são integralmente doados: uma parte, em forma de gêneros, bens e equipamentos a instituições beneficentes reconhecidas por sua integridade e utilidade social; outra é destinada a escolas profissionalizantes que, construídas pela CGD-PV, proporcionam a milhares de pessoas a conquista de sua independência e de melhores condições para suas famílias. 

A CGD-PV doa 100% de todos os depósitos que recebe, opera sem custos internos, porque atua, estritamente, por meio do trabalho voluntário de seus membros. Todos os procedimentos e declarações contábeis são auditados e publicados.

Essa atividade não considera quaisquer aspectos políticos, sociais ou religiosos das entidades a serem beneficiadas e se propõe a dar um exemplo para a sociedade, qual seja, o de que Homens com a consciência ampliada criam naturalmente um meio melhor, mais responsável, digno e justo – não apenas para si próprio, mas também para os seus semelhantes. 

Novas Centrais do Dízimo foram implantadas em diversas cidades e países e, em conjunto, já realizaram mais de dez mil doações.


“A CGD vai bem e você?” Dr. Celso Charuri.